Criança... Se um dia fui.



                             No último sábado decidi, espontaneamente, ir a um Geriatra.
Surpreendi-me com uma coerente explicação – “Geriatra não é médico de idoso” e
Sim “de todo aquele quando  para de crescer”, ou seja, desde a juventude convém fazer a prevenção.
                            Durante a anamnese, deparei-me com um profissional que faz uma consulta em quase duas horas, raro nos dias atuais, talvez vocês estejam conjecturando, afinal eu teria muitas histórias para contar... Poderia até ser, mas com minha “língua solta” ficou possível ao Geriatra traçar o meu perfil  e estabelecer um diagnóstico.
                            Enxerguei na mulher de hoje a criança e jovem de outrora, numa velocidade tão intensa, sem intervalos de uma fase para a outra, que fui comparada a um “disco que roda alucinadamente sem parar”.( sic Geriatra).
                            Constatei que  sempre fui assim, desde criança , vivia antecipadamente a fase subsequente,mergulhava de cabeça nos problemas adultos e dava “pitacos” em tudo.
                             Talvez  tenha declinado de viver como  uma criança “normal”...Sem olhares críticos , sem sofrimentos adultos , sem cargas emocionais , sem cobranças .
                              A precocidade, taxada por vezes de inteligência acima dos demais, sem levar em consideração o excesso de informações que minha cabecinha infantil recebia faz-me, nos dias de hoje, perceber que não vivi plenamente a fase de criança.
                              Como consequência já chegou à fase da juventude, adulta e totalmente responsável. Foi bom? Não sei responder... De criança só recordo poucos momentos de brincadeiras e jogos, de apenas um boneco, o Juarez, como também de ter sido Anjinho de Lapinha de Natal, por ser branquinha.
                               De acordo com o Geriatra, a memória recente nos idosos, quando comparada à passada, perde para esta, talvez isto justifique a minha facilidade de falar sobre o que vivi... os clarões imensos que parecem inundar o cérebro ,de tão “vivas” as lembranças!
                             Considerando o que a maioria define como ter sido a vida em criança, questiono-me: - Se fui criança um dia? Não sei, a única certeza é que à minha maneira fui feliz!                        


                              
                              Escrito por Maria Claudete F.H.Batista

26 comentários:

Felisberto Junior participou com o comentário número:

Olá!Bom dia
Claudete
...
... é verdade, o "geriatra não é médico de idoso", e sim de "todo aquele que para de crescer",e naturalmente, envelhecemos...portanto , são os especializados em envelhecimento,e não só dos idosos.
Duas horas é raro para uma consulta, mas,penso que um paciente deve ser visto como um todo, e não como parte de uma doença, ou uma doença , tudo que envolve o envelhecimento, os sentimentos, heranças, interesses pessoais e familiares.
A infância é uma fase tão gostosa da vida e não deve ser apressada, mas aproveitada. É brincar livremente para desfrutar o que pode da primeira infância, que dura tão pouco.
Posso dizer que lembro bem de cada fase de minha vida, não pulei nenhuma fase, apesar de muitas ofertas para ser precoce.
Hoje, tudo contribui para o desaparecimento da infância. Apelos do consumismo exacerbado, à erotização precoce e às agendas extracurriculares apertadas, que não deixam espaço para brincadeiras sem compromisso. Elas estão vivendo e participando de problemas que muitas vezes não dão conta de opinar. Tal situação acaba por produzir ações descoordenadas e mesmo intervenções inoportunas. Mas, a família precisa criar uma moldura social para proteger as crianças...
Mas, cada um é cada um, cada uma é cada uma, e como dito, é que à sua maneira, o importante é ser feliz...
Agradecido
Bela semana
Beijos

Severa Cabral(escritora) participou com o comentário número:

BOM DIA MINHA QUERIDA !
O TEXTO DEIXA UMA MENSAGEM DE OTIMISMO PARA QUEM ACHA QUE O TEMPO ESTÁ MATANDO DEVAGARINHO TODAS AS CÉLULAS ...VALEU QUERIDA SUA HISTÓRIA DE VIDA.IRÁ FAZR UM BEM A TANTA GENTE QUE SE ACHA NO PONTO FINAL.
BJS DE BOM DIA !

✿ chica participou com o comentário número:

A consulta ao geriata apenas previne, acerta os caminhos para um bem viver mais tarde melhor. Adorei te ler e a foto linda! e tão importante é perceber que fomo crianças felizes, não é? beijos,chica

Ives participou com o comentário número:

Ser feliz é o mais importante não é? E ser criança podemos ser em qualquer idade e a busca das belezas na vida são mais importantes do que imaginamos! abraços

Dorli participou com o comentário número:

Bom dia Claudete!
Ser velho ou como dizem idoso é quando você perde a vontade de viver. O corpo vai perdendo o viço da juventude, mas a memória tem que se fazer renovada a cada dia.
É saber lidar com o tempo e procurar enriquecer sua mente, p.x. numa boa leitura, trocar ideias e não se lastimar que os sulcos agregaram seu rosto, pois isso acontecerá a muitas pessoas que conseguirem sobreviver nesse mundo tão violento de hoje.
Adorei a matéria
Obrigada
Lua Singular

Alfa & Ômega participou com o comentário número:

Oi, Claudete, que show seu escrito! Há tempos que ando com vontade de visitar um geriatra, tudo porque minha vizinha, quando eu era mais moça, ia e eu achava chique. Ela certamente fazia prevenção. Um grande abraço!

♫*Isa Martins participou com o comentário número:

Oi Clau, o importante é isso, sermos felizes á nossa maneira. Também lembro pouco da minha infância e o que lembro não foi assim tão bom, procuro hoje fazer coisas que gosto pra compensar isso e na verdade comecei a fazer essas coisas a pouco tempo...acho que to mudando e muito, e acho isso bom rs Beijos pra ti amiga e ótima noite!

Patricia Galis participou com o comentário número:

Clau brilhante sua postagem, um amigo me disse que o ideal seriamos procurar o geriatra a partir dos 35 anos preciso marcar tbm, dizer que é medico de idoso é errado. Tbm fui uma criança precoce e como bem falou não sei se foi bom ou ruim....mas agradeço certas coisas que me fizeram amadurecer.

Clara Lúcia participou com o comentário número:

Que texto lindo!
Acho que eu tenho medo de ir a um geriatra... tenho medo do diagnóstico, mas já sei que era e sou exatamente como ele te descreveu.... não sei se é bom ou ruim, enfim.

Beijos

Calu B. participou com o comentário número:

E como esta conclusão tem o peso que realmente importa em meio às tantas lembranças: vc foi feliz e o foi á sua maneira, aquela que teu temperamento orquestrou em seus dias e que com certeza, fez com que belas melodias te conduzissem por cada fase da vida.
Um abraço, Claudete.
Calu

Socorro Melo participou com o comentário número:

Claudete,

Lendo sobre sua experiência, fiquei a refletir na minha própria. Não digo que pulei etapas, mas, as circunstâncias me fizeram ter grandes responsabilidades logo cedo. Como você, digo sem receios: apesar de tudo, fui feliz. E passar por tudo que passei, me tornaram o que hoje sou, alguém que se ama e que sabe amar, de verdade.

Um abraço
Socorro Melo

Sonhadora (RosaMaria) participou com o comentário número:

Minha querida

O importante é teres sido feliz e estares bem contigo própria, isso é que importa. Nunca fui a um geriatra, não sei o que descobriria sobre mim.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Zilani Célia participou com o comentário número:

OI CLAUDETE!
LENDO TEU TEXTO ME DOU CONTA DAS POUCAS LEMBRANÇAS QUE TAMBÉM TENHO DE MEU TEMPO DE CRIANÇA, MAS, ACHO QUE É ASSIM MESMO, AS LEMBRANÇAS NÃO SÃO MUITAS, ENTÃO COMO SABERMOS SE FOMOS FELIZES?
ACHO QUE A TODA A CRIANÇA TRÁS EM SI TODOS OS BONS SENTIMENTOS DOS QUAIS SOMOS DOTADOS POR "DEUS" AO AQUI CHEGARMOS, DAÍ NOSSA FELICIDADE, POIS MESMO SEM LEMBRARMOS, TEMOS A SENSAÇÃO DE QUE ALGO BOM SE DEU.
TEU TEXTO É MUITO BONITO, EMOCIONOU.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

PAULO TAMBURRO. participou com o comentário número:

CLAUDETE,

lá no "FALANDO SÉRIO", você certamente encontrará um texto cujo conteúdo irá responder por mim, todas estas questões aqui colocadas, geriátricas inclusive.
Talvez você goste do que vai ler.
Espero...são lembranças!
Um abração carioca.

✿ Rê ✿ participou com o comentário número:

Oi flor!
O importante nessa vida é ser feliz! Viver cada minuto intensamente!
Gostei muito da postagem!
Bjão

Blog: Femme Digital- Mãe, Esposa, Mulher!

Anne Lieri participou com o comentário número:

Clau,que belo texto escreveu! Nossa criança nunca morre, apenas fica adormecida para algumas pessoas. Bjs,

AC participou com o comentário número:

Maria Claudete,
Pelo que conheço de si, duma coisa tenho a certeza: soube construir muito bem, ao longo do tempo, o seu edifício interior.

Beijo :)

Felisberto Junior participou com o comentário número:

Olá!Boa noite
Claudete
agradecer pelo carinho, sempre comigo!
Obrigado!
Desejando uma feliz semana!Paz e luz!
Beijos

Magui Só participou com o comentário número:

Sei não, o importante é olhar pra frente.Prefiro.

Mensagens Abençoadoras participou com o comentário número:

Olá Claudete, muito obrigada pela presença lá no meu cantin e pelo comentário!
De fato o que nunca podemos deixar morrer é a nossa criança interior! A minha não é muito interior não,ela é exterior mesmo rsrsrs eu que preciso segurá-la de vez em quando rsrsrs bjus querida!! Volte lá!!
Marly

Orvalho do Céu participou com o comentário número:

Olá, querida Claudete
Fui no mês passado ao geriatra e foi ótimo... Foi a segunda vez, uma no ES e outra no RJ...
Vale a pena!!!
Cuidar do corpo enquanto 'não se cresce mais' é saudável!!!
Faz bem à alma...
Bjm de paz e bem

Amara Mourige participou com o comentário número:

Olá Claudete, adorei sua presença e comentário no meu blog!
Muito bom seu texto me serviu de alerta,estou precisando ir ao geriatra.
Bjs
Amara

Bruxa participou com o comentário número:

Que legal!
Não sabia que após o crescimento já podíamos ir ao geriatra. Também tinha ideia errada quanto a isso.
Sobre as memórias recentes e passadas é bem interessante. Acho que se deve ao fato de ter curtido mais o que passou, sem se preocupar com o agora ou depois. Como tem sempre uma explicação pra tudo...
Gostei da sua postagem!

Abraços e lindo dia.

Misturação - Ana Karla participou com o comentário número:

Olá, Claudete!
É importante cuidar de nós mesmos, não importa a via, desde que seja adequada e séria.
Quanto ao tempo de criança, penso que a minha ainda não passou. kkkkkkkkkkk
Feliz com sua presença no Misturação.
xeros

nelma ladeira participou com o comentário número:

Olá Claudete,achei seu blog muito interessante parabéns!
Achei seu texto maravilhoso,já estou seguindo,beijinhos.

nelma ladeira participou com o comentário número:

Obrigada pelo carinho,e por seguir meu blog.
Beijinhos.

Postar um comentário

É importante seu comentário, somente acrescenta.
Que seu dia seja pleno de realizações e Amor!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...